Sufixos Freqüentemente Usados no Institute for New Testament Textual Research New Testament Transcripts Prototype Website:

 

A letra “T” identifica o texto original do manuscrito.

 

A letra “C” identifica uma correção, aplicada pelo corretor por expunção, anulação, etc.

 

A letra “Z” marca uma adição, interlinear ou marginal, que não pode ser claramente identificada como uma correção.

 

A letra “K” marca uma leitura de comentário que difere do lema do comentário.

 

A letra “V” depois do meio de sinal do corretor “ videtur de ut (i.e., a leitura atestada por uma testemunha não pode ser determinada com certeza absoluta).

 

O símbolo na forma de uma “T” levantada ( ) marca o sítio onde as testemunhas inserem uma ou mais palavras, às vezes um versículo inteiro.

 

Em Aleph (01), os seguintes sufixos são usados (seguindo os grupos identificados por Tischendorf) :

 

C1 fica para os grupos mais antigos de Tischendorf , a saber, A e B.

 

C2 (incl. C2a, C2b, e C2c) fica para os grupo meio do Tischendorf , a saber C (incl. Ca, Cb e Cc).

 

C3 fica para os últimos grupos de Tischendorf , a saber D e E (estes são erroneamente abreviados Cc na 27a edição de Nestle-Aland e no Editio Critica Maior). Uma lista dos catálogos do Tischendorf pode ser achada no volume suplementar de Editio Critica Maior IV, Catholic Letters Part 2, Installment 1 James, p. B7.

 

Assim, “01C1” refere aos corretores mais antigas de 01 (Aleph), enquanto “424Z” refere a uma adição (interlinear ou marginal) ao manuscrito 424 que não pode ser claramente identificado como uma correção, etc.

 

Para uma lista mais completa veja Editio Critica Maior IV, Letras católicas Partem 1, Prestação 1 Dificuldades,p. 19*.

 

Esta lista foi graciosamente fornecida por Luc Herren

Institut für Neutestamentliche Textforschung Westfälische Wilhelms Universität, Münster, Alemanha